Crónica do Embaixador do México Alfredo Pérez Bravo – México e o Mundo em 2017 e 2018

Recentemente, o novo Ministro de Relações Exteriores do México, Luís Videgaray, salientou que 2016 será recordado como um ano de profunda mudança política no mundo, um ano em que uma parte significativa da população, particularmente na Europa e nos Estados Unidos, se fez ouvir exigindo que seja dada maior importância aos interesses nacionais. Renovaram- se, as políticas públicas de carácter nacionalista, em deterioramento de políticas promotoras da globalização. Esta mudança é profunda e modificará a dinâmica de como os países se relacionam, inaugurando-se uma agenda de mudança para o interesse nacional e o naciona

lismo económico. Perante esta nova realidade, o Presidente da República mexicana, Enrique Peña Nieto, definiu duas grandes prioridades e ações do México em matéria de política exterior para os próximos dois anos:

1. Fortalecer a presença do México no mundo, com o objetivo de diversificar os vínculos políticos, comerciais, de investimento, turismo e de cooperação. “Embora seja com os Estados Unidos que se concentrem os nossos maiores intercâmbios económicos, temos de aproveitar as oportunidades que, hoje mais do que nunca, o México tem em todo o mundo”: EPN

2. Construir uma nova etapa de diálogo e negociação, na relação bilateral com os Estados Unidos, na qual o México atuará de forma a defender o seu interesse nacional. “Nem confronto, nem submissão. A solução passa pelo diálogo e pela negociação”: EPN

AÇÕES

1. Do ponto de vista comercial, o México reafirmar-se-á como uma nação aberta ao mundo, participando no mercado global com produtos e serviços de elevado valor. O México tem vindo a transformar-se num centro logístico para os fluxos comerciais globais e uma ponte natural entre os vários lugares do mundo. Tendo em conta estes fatores, pode  e deve diversificar ainda mais a suas relações económicas e políticas.

2. Continuar a fortalecer a sua relação com as distintas partes do mundo e aprofundar as relações bilaterais e o diálogo político com atores chave: – América Latina e as Caraíbas: procurar-se-á uma estratégia para alcançar uma maior taxa de comércio e investimento, de forma a garantir melhores empregos e uma maior comunicação. – América Central: nesta região e particularmente com os países que integram o Triângulo Norte (Guatemala, Honduras e El Salvador) buscar- se-ão soluções para atender a objetivos comuns, nomeadamente o desenvolvimento, a paz e a migração segura e ordenada bem como, respeitosa dos Direitos Humanos. – América do Sul: continuar-se-á a fortalecer a integração regional através da Aliança do Pacífico, mecanismo inovador do qual fazem, também parte o Chile, a Colômbia e o Perú. De forma a aprofundar e ampliar as oportunidades de comércio, o México construirá relações mais próximas com a Argentina e o Brasil. – Europa: a prioridade será concluir ainda este ano, a atualização do Acordo Global, do qual faz parte a modernização do Tratado de Livre Comércio com a União Europeia e ainda concluir o processo de modernização do Tratado com a Associação Europeia de Livre Comércio. – Reino Unido: o México encontra-se preparado para iniciar as negociações de um acordo comercial, uma vez que se forma
lize a saída do Reino Unido da União Europeia. – Ásia Pacífico: nesta região encontram-se 5 dos 10 principais sócios comerciais. A prioridade, será a consolidação do México como um ator relevante, por forma a intensificar os fluxos de comércio, investimento e turismo. Perante a dificuldade de materializar o Tratado de Associação Transpacífico (TPP), o México
iniciará de imediato o diálogo para produzir novos acordos comerciais bilaterais com os países participantes neste Tratado. – Medio Oriente: sendo esta uma região importante para a concentração de recursos energéticos e incidência na segurança e paz internacionais. A prioridade será consolidar alianças estratégicas com países e atores chave, a partir de um vínculo mais estreito entre os sectores empresariais e financeiros, com o objetivo de atrair maior investimento. – África: A meta passará por aumentar e consolidar a presença política, os intercâmbios comerciais e os projetos conjuntos de cooperação do México nas várias sub-regiões de África. 3. Participar-se-á de forma a ir ao encontro das melhores soluções para as causas da comunidade internacional, em fóruns e mecanismos multilaterais. No seio das Nações Unidas, o México continuará as negociações de forma a alcançar parâmetros mais exigentes no Pacto Global para uma migração segura, ordenada e regular de forma, a atender o problema mundial das drogas e assegurar a plena implementação do Tratado sobre o comércio de armas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *