VEJO-TE EM MACAU

No 20º ano da sua constituição como Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), a 20 de Dezembro de 1999, Macau continua a atrair, incansavelmente, turistas de todo o mundo. A nova mega ponte ligando Hong Kong, Macau e Zhuhai, cidade vizinha de Macau, facilita ainda mais o acesso, especialmente a partir de Hong Kong. Também constitui uma atracção em si própria com os seus 55 km de comprimento total, sendo a maior travessia do mundo sobre mar. Para quem já viveu em Macau e sempre quis voltar um dia, ou para quem simplesmente quiser conhecer este destino longínquo com muitas reminiscências a Portugal, 2019 é o ano de rumar a Macau!

No 20º ano da sua constituição como Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), a 20 de Dezembro de 1999, Macau continua a atrair, incansavelmente, turistas de todo o mundo. A nova mega ponte ligando Hong Kong, Macau e Zhuhai, cidade vizinha de Macau, facilita ainda mais o acesso, especialmente a partir de Hong Kong. Também constitui uma atracção em si própria com os seus 55 km de comprimento total, sendo a maior travessia do mundo sobre mar. Para quem já viveu em Macau e sempre quis voltar um dia, ou para quem simplesmente quiser conhecer este destino longínquo com muitas reminiscências a Portugal, 2019 é o ano de rumar a Macau!

Os que conheciam Macau há 10, 20 ou ainda há mais anos, vão encontrar uma cidade transformada num tempo recorde, mas ainda com todos os ingredientes que faziam e fazem dela um sítio único na China e no Extremo Oriente, porém acrescido de muitas novidades em termos de hotelaria, gastronomia, entretenimento e eventos. Os turistas de “primeira viagem” vão dispersar-se e ir ao encontro da emblemática fachada das Ruínas de São Paulo, do Templo de A-Má, do entretenimento 24/7, do paraíso de compras e de muitos outros pontos de interesse. Um passeio pelo “Centro Histórico de Macau”, classificado como Património Mundial da UNESCO desde 2005, é sempre uma aposta ganha por evidenciar as marcas da centenária presença portuguesa, desde meados do século XVI, lado a lado com as manifestações da cultura local chinesa. Inclui elementos únicos de fusão, resultado da convivência íntima e prolongada de duas culturas distintas 1. Mega ponte entre Hongkong, Macau e Zhuhai; 2. Elementos de fusão na fachada das Ruínas de São Paulo; 3. Largo do Senado; 4. Grande escadaria das Ruínas de São Paulo; 5. Templo de A-Má; 6. Macau visto a partir da Avenida da República;

Os que conheciam Macau há 10, 20 ou ainda há mais anos, vão encontrar uma cidade transformada num tempo recorde, mas ainda com todos os ingredientes que faziam e fazem dela um sítio único na China e no Extremo Oriente, porém acrescido de muitas novidades em termos de hotelaria, gastronomia, entretenimento e eventos. Os turistas de “primeira viagem” vão dispersar-se e ir ao encontro da emblemática fachada das Ruínas de São Paulo, do Templo de A-Má, do entretenimento 24/7, do paraíso de compras e de muitos outros pontos de interesse.
Um passeio pelo “Centro Histórico de Macau”, classificado como Património Mundial da UNESCO desde 2005, é sempre uma aposta ganha por evidenciar as marcas da centenária presença portuguesa, desde meados do século XVI, lado a lado com as manifestações da cultura local chinesa. Inclui elementos únicos de fusão, resultado da convivência íntima e prolongada de duas culturas distintas
1. Mega ponte entre Hongkong, Macau e Zhuhai; 2. Elementos de fusão na fachada das Ruínas de São Paulo; 3. Largo do Senado; 4. Grande escadaria das Ruínas de São Paulo; 5. Templo de A-Má; 6. Macau visto a partir da Avenida da República;

“Fusão” também é uma palavra-chave quando se fala de gastronomia em Macau, já que a culinária macaense pode ser considerada como uma das mais antigas cozinhas de fusão, combinando especiarias e ingredientes de África, Sudeste Asiático e Índia - como por exemplo caril, leite de coco e canela - usando técnicas de confecção chinesas. Pratos emblemáticos com nomes curiosos, como “Minchi”, “Tacho” e “Porco Bafá-assá”, não esquecendo as sobremesas “Batatada” e “Bebinca de Leite”, são algumas das sugestões para lhe abrir o apetite! Todavia, Macau é hoje um dos destinos gastronómicos mais famosos na Ásia, fruto da sua sofisticação e excelência. Prova disso são os impressionantes 19 restaurantes, de vários tipos de cozinhas, galardoados com estrelas Michelin, de acordo com a seguinte distribuição: 3 restaurantes com 3 estrelas, 5 com 2 e 11 com 1 estrela Michelin. O mesmo guia distingue ainda 9 restaurantes locais, incluindo estabelecimentos de rua, com o título “Bib Gourmand”, por oferecerem menus de qualidade e iguarias típicas, a preços muito acessíveis. Em reconhecimento da singularidade, diversidade e qualidade da sua gastronomia, Macau passou a integrar a Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área da Gastronomia em 2017. 1. & 2. Exemplos de culinária chinesa; 3. Cozinha macaense (de fusão); 4. Minchi; 5. Tacho;

“Fusão” também é uma palavra-chave quando se fala de gastronomia em Macau, já que a culinária macaense pode ser considerada como uma das mais antigas cozinhas de fusão, combinando especiarias e ingredientes de África, Sudeste Asiático e Índia – como por exemplo caril, leite de coco e canela – usando técnicas de confecção chinesas. Pratos emblemáticos com nomes curiosos, como “Minchi”, “Tacho” e “Porco Bafá-assá”, não esquecendo as sobremesas “Batatada” e “Bebinca de Leite”, são algumas das sugestões para lhe abrir o apetite!
Todavia, Macau é hoje um dos destinos gastronómicos mais famosos na Ásia, fruto da sua sofisticação e excelência. Prova disso são os impressionantes 19 restaurantes, de vários tipos de cozinhas, galardoados com estrelas Michelin, de acordo com a seguinte distribuição: 3 restaurantes com 3 estrelas, 5 com 2 e 11 com 1 estrela Michelin. O mesmo guia distingue ainda 9 restaurantes locais, incluindo estabelecimentos de rua, com o título “Bib Gourmand”, por oferecerem menus de qualidade e iguarias típicas, a preços muito acessíveis. Em reconhecimento da singularidade, diversidade e qualidade da sua gastronomia, Macau passou a integrar a Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área da Gastronomia em 2017.
 Exemplos de culinária chinesa; 3. Cozinha macaense (de fusão);
4. Minchi; 5. Tacho;

 

 

 

A oferta da “boa cama” não fica em nada atrás da “boa mesa”: na orla sul da península de Macau, na ilha da Taipa e na área do Cotai – um aterro unindo as antigas ilhas da Taipa e Coloane – existem grandes hotéis e resorts internacionalmente conhecidos, fazendo jus à designação de Macau como um centro mundial de turismo e de lazer. É sobretudo neles que se encontram os grandes centros comerciais, com as mais conhecidas marcas de luxo. Contudo, quem estiver à procura de arte e móveis orientais, porcelanas, bibelots e antiguidades chinesas, ou simplesmente mercados de rua, onde regatear continua a ser a regra, encontrá-los-á em diversas zonas tradicionais de Macau. 1. Resorts na área do Cotai, em Macau; 2. Macau visto a partir da ilha da Taipa; 3. Desfile Internacional de Macau; 4. Exposição Arte Macau - Jardim das Delícias Terrenas; 5. Festival de Luz de Macau; PARA DESCOBRIR Entre os muitos eventos a decorrer em Macau ao longo do ano, destaca-se uma nova iniciativa, fruto da cooperação entre o sector público e privado, conhecida por “Arte Macau”. Este mega evento é como uma festa contínua de arte e cultura, que estará patente até Outubro. Inclui exposições e instalações de artistas internacionais um pouco por toda a cidade, mas especialmente nos grandes resorts, para além de música, teatro e dança. Com o calor e a humidade a fazerem-se sentir em pleno Verão, os visitantes podem refrescar-se, mergulhando nas obras de arte nos espaços climatizados dos grandes hotéis e, ao mesmo tempo, conhecer as particularidades dos espaços públicos de cada um. Valem uma visita por si mesmos, pela sua opulência e design frequentemente arrojado. Para quem já não chegar a tempo de usufruir do Arte Macau, existem muitas outras opções de eventos únicos e excitantes até ao final do ano, tais como o Grande Prémio de Macau, o Festival de Gastronomia de Macau, o Festival de Luz, o Festival Internacional de Cinema e Cerimónia de Entrega de Prémios Macau, ou mesmo o Desfile Internacional de Macau, terminando o ano com o Natal e a Passagem de Ano com o seu magnífico fogo-de-artifício. No dia 25 Janeiro de 2020 terá lugar a maior festa da cultura chinesa, o Ano Novo Chinês, e o rato sucederá ao porco no zodíaco chinês. Qualquer que seja o animal, mítico como o dragão ou real como o rato, Macau continuará a receber cordialmente visitantes dos quatro cantos do mundo.

A oferta da “boa cama” não fica em nada atrás da “boa mesa”: na orla sul da península de Macau, na ilha da Taipa e na área do Cotai – um aterro unindo as antigas ilhas da Taipa e Coloane – existem grandes hotéis e resorts internacionalmente conhecidos, fazendo jus à designação de Macau como um centro mundial de turismo e de lazer. É sobretudo neles que se encontram os grandes centros comerciais, com as mais conhecidas marcas de luxo. Contudo, quem estiver à procura de arte e móveis orientais, porcelanas, bibelots e antiguidades chinesas, ou simplesmente mercados de rua, onde regatear continua a ser a regra, encontrá-los-á em diversas zonas tradicionais de Macau.
1. Resorts na área do Cotai, em Macau; 2. Macau visto a partir da ilha da Taipa; 3. Desfile Internacional de Macau; 4. Exposição Arte Macau – Jardim das Delícias Terrenas; 5. Festival de Luz de Macau;                                                                                                                                                                                                                                                                                
PARA DESCOBRIR 
Entre os muitos eventos a decorrer em Macau ao longo do ano, destaca-se uma nova iniciativa, fruto da cooperação entre o sector público e privado, conhecida por “Arte Macau”. Este mega evento é como uma festa contínua de arte e cultura, que estará patente até Outubro. Inclui exposições e instalações de artistas internacionais um pouco por toda a cidade, mas especialmente nos grandes resorts, para além de música, teatro e dança. Com o calor e a humidade a fazerem-se sentir em pleno Verão, os visitantes podem refrescar-se, mergulhando nas obras de arte nos espaços climatizados dos grandes hotéis e, ao mesmo tempo, conhecer as particularidades dos espaços públicos de cada um. Valem uma visita por si mesmos, pela sua opulência e design frequentemente arrojado.
Para quem já não chegar a tempo de usufruir do Arte Macau, existem muitas outras opções de eventos únicos e excitantes até ao final do ano, tais como o Grande Prémio de Macau, o Festival de Gastronomia de Macau, o Festival de Luz, o Festival Internacional
de Cinema e Cerimónia de Entrega de Prémios Macau, ou mesmo o Desfile Internacional de Macau, terminando o ano com o Natal e a Passagem de Ano com o seu magnífico fogo-de-artifício.
No dia 25 Janeiro de 2020 terá lugar a maior festa da cultura chinesa, o Ano Novo Chinês, e o rato sucederá ao porco no zodíaco chinês. Qualquer que seja o animal, mítico como o dragão ou real como o rato, Macau continuará a receber cordialmente visitantes dos quatro cantos do mundo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *